Controlar tamanho da fonte

A- A A+


Links úteis

SlideBar
Representantes dos 33 Tribunais de Contas do Brasil — entre estaduais, municipais e do Distrito Federal — estiveram reunidos em Florianópolis, nos dias 18 e 19 de setembro, para discutir assuntos de interesse comuns voltados para o aperfeiçoamento das ações de controle externo previstas no Programa de Modernização do Sistema de Controle Externo dos Estados, Distrito Federal e Municípios Brasileiros (Promoex).
Na oportunidade, houve a eleição e posse da nova diretoria do Instituto Rui Barbosa (IRB) — sociedade civil, de caráter técnico, pedagógico, científico e cultural que congrega todos os Tribunais de Contas brasileiros —, para o biênio 2008/2010. O encontro nacional, que será realizado no Majestic Palace Hotel, é uma iniciativa do IRB — que tem sede em Santa Catarina —, com apoio do TCE catarinense.
O conselheiro do Tribunal de Contas de Santa Catarina Salomão Ribas Junior foi reconduzido ao cargo de presidente do Instituto Rui Barbosa (IRB), por unanimidade, durante assembléia geral da entidade, realizada na manhã da última sexta-feira (19/09), em Florianópolis. A atual diretoria também foi mantida. O IRB é uma sociedade civil, de caráter técnico, pedagógico, científico e cultural que congrega todos os Tribunais de Contas brasileiros. A gestão que inicia agora se estenderá até o final de 2009 para possibilitar que, a partir de então, o IRB e a Atricon (Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil) tenham gestões concomitantes.
O programa apresentou uma demonstração prática das potencialidades do Portal das Cortes de Contas (www.controlepublico.org.br). Tal site foi criado para promover a integração entre os Tribunais e para aprimorar a comunicação, através da disponibilização de ferramentas de colaboração para os servidores e de informações sobre os Tribunais para os jurisdicionados e para a população. Além disso, houve uma exposição sobre a importância da auditoria operacional piloto, ação também prevista no Promoex, que está sendo realizada na área da educação pela maioria dos Tribunais de Contas do Brasil, inclusive pelo da União. O objetivo é avaliar as capacitações de professores do ensino fundamental feitas pelas secretarias estaduais e municipais e pelo Ministério da Educação.